Dor de garganta: o que é e como tratar

Ninguém merece passar dias com sintomas de dor de garganta, não é mesmo? Mas não tem jeito, ela é assim: aparece do nada, sem sequer mandar avisos prévios1. Em alguns casos, a indisposição incomoda e acaba influenciando inclusive a produtividade no ambiente de trabalho.

Das que causam febre até aquelas que indicam o início de uma gripe ou resfriado, é importante estar atento aos sintomas, especialmente, para não deixar a situação agravar. Além disso, a dor de garganta é um sinal de que algo não vai bem com o seu organismo.

Portanto, se você é o tipo de pessoa que não tem tempo para repousar e esperar a inflamação ir embora, este guia vai ajudar você a entender o que precisa para ter um alívio rápido quando sofrer com esse mal.

Está preparado para descobrir mais sobre o assunto? Então, vamos lá!

O que é a garganta inflamada?

A dor de garganta é, na verdade, parte do processo inflamatório causado por uma infecção ou irritação nessa região. Na maioria dos casos, ela acomete a faringe e as amígdalas e pode ser provocada tanto por vírus quanto por bactérias. Essas patologias são chamadas de faringites ou amigdalites, dependendo de onde se localizam.

Outros casos em que acontece a irritação dessa área são pelo ar muito seco, mudanças bruscas de temperatura e uso excessivo do ar-condicionado, como você verá mais adiante. Em geral, o problema se resolve rápido e sozinho. No entanto, em alguns casos, é necessário intervir nos sintomas ou mesmo procurar um médico.

Por isso, além de tratar o problema, procure formas de aumentar a sua imunidade e estabelecer hábitos saudáveis, como uma alimentação equilibrada e a prática regular de exercícios físicos para manter seu corpo preparado para combater qualquer infecção.

Agora que você já sabe o que é a dor de garganta, chegou a hora de descobrir os principais sintomas, por que eles ocorrem e como reduzir o incômodo.

Quais são os principais sintomas?

Você já sabe que a dor é um dos principais sintomas dessas inflamações. Mas, afinal, que outros indícios existem para sinalizar do que se trata o problema? A verdade é que ocorrem sinais diferentes para causas diferentes de dor de garganta. Apesar disso, alguns deles se assemelham muito em todos os casos, como:

  • dor para engolir;
  • sensação de garganta arranhando;
  • inchaço na região;
  • formação de pus;
  • vermelhidão;
  • calor.

Em algumas situações, esses sintomas ainda vêm acompanhados de dores no corpo, dor de cabeça, febre e desânimo. Dependendo de como a inflamação avance, também é possível experimentar dores nos ouvidos e no pescoço.

Por que isso ocorre?

Na realidade, os sintomas que você sente são uma forma de o seu corpo se defender. A febre, por exemplo, é um dos primeiros mecanismos acionados para combater infecções, já que alguns microrganismos não sobrevivem a temperaturas superiores a 37ºC2. Em geral, ela tende a ir embora sozinha, depois que cumpriu sua missão.

O mesmo ocorre com o pus formado na garganta, por exemplo, que é o meio que o corpo encontra para expulsar infecções, especialmente bacterianas. Quando um microrganismo estranho ao corpo entra em contato, nosso sistema imune libera uma série de mediadores inflamatórios, que têm por objetivo aumentar a circulação sanguínea local, transportando mais células de defesa para a região.

É como se fosse o alarme de incêndio do seu organismo atuando para chamar os bombeiros. Claro que, com mais sangue e células de defesa, a área tende a ficar avermelhada, quente e, até mesmo, dolorida.

Inclusive, a dor funciona como um aviso para a sua mente de que algo está errado ali. Assim, você sabe que tem que tomar alguns cuidados para ajudar seu organismo, como falar menos e beber bastante água.

Então, da próxima vez que você tiver uma dor de garganta, saiba que os sintomas são apenas alguns mecanismos que o seu corpo tem para defender você de invasores externos. Isso ocorre com quem tem um sistema imunológico fortalecido.

Quais são as causas da dor de garganta?

Diversos quadros podem acabar ocasionando a inflamação da garganta e, por consequência, a dor. Como você viu, sozinha, ela é apenas um sintoma, mas que geralmente indica alguma infecção, seja bacteriana, seja viral. Por isso, além da dor em si, você também pode ter outra causa da inflamação.

A exemplo disso estão as gripes, as laringites, as amigdalites e assim por diante. As irritações também estão entre os fatores que causam dor de garganta. Nesses casos, elas podem ser provocadas por:

  • baixa umidade do ar;
  • poluição;
  • respiração pela boca;
  • fala excessiva ou muito alta;
  • refluxo gastroesofágico;
  • machucados físicos causados ao engolir algo;
  • tabagismo;
  • consumo de bebidas alcoólicas.

É bastante comum encontrar pessoas sofrendo com o problema durante o outono e o inverno. Isso acontece porque existe uma propensão à proliferação desses microrganismos nesse período, já que o ar fica mais seco. Além disso, as mudanças climáticas são mais frequentes e isso mexe com a imunidade, o que deixa o corpo ainda mais propenso a ser atacado por vírus e bactérias.

Também existem outros fatores que favorecem a exposição do organismo a esses agentes. O uso de ar-condicionado muito forte é um deles. A garganta tem uma espécie de cílios que ajudam a proteger contra a ação de microrganismos. No entanto, quando a temperatura cai bruscamente (com o ar-condicionado ligado, por exemplo), esses mecanismos diminuem sua atividade, deixando o corpo exposto.

Assim, ao sair novamente para um ambiente onde os vírus e as bactérias estão se proliferando intensamente, você fica totalmente desprotegido contra eles. O resto, você já sabe: seu organismo é infectado pelos microrganismos e você passa a desenvolver os sintomas, como o tão conhecido desconforto.

Mas também existe outro tipo de dor de garganta, a chamada faringite não-infecciosa. Você conhecerá mais sobre ela, adiante.

Agora, chegou o momento de conhecer melhor cada uma das causas. Vamos lá?

Viral

A dor de garganta pode ser provocada por um vírus, que é um microrganismo que se hospeda nas células para sobreviver. Lá, ele se multiplica e vai se espalhando para outras células. Um exemplo disso é o resfriado comum, que inicia pelas vias respiratórias, provocando sintomas como espirros, dor de garganta, tosse, congestão nasal e assim por diante.

É por isso que a infecção viral da garganta, geralmente, vem acompanhada de gripes e resfriados. Portanto, também conta com sintomas como nariz entupido, dores pelo corpo e febre. Tratando-se de um vírus, o seu ciclo de vida é mais curto e não é preciso tomar nenhum medicamento específico para combatê-lo. Basta tratar os desconfortos.

Em geral, os sintomas passam entre dois e três dias após seu surgimento. Sendo assim, os únicos medicamentos utilizados são para aliviar o mal-estar, as dores e a febre. Nessa lista, entram anti-inflamatórios e pastilhas, que podem ajudar a afastar a irritação local.

Bacteriana

As bactérias são microrganismos unicelulares que vivem, em grande parte, no nosso organismo. Seu papel é bastante benéfico, fazendo com que nosso corpo funcione adequadamente, como é o caso da flora intestinal.

No entanto, entre as muitas existentes, há aquelas que causam doenças — as bactérias patógenas. Elas invadem os tecidos do organismo, hospedam-se e se proliferam, secretando enzimas e toxinas para o corpo.

As dores de garganta causadas por bactérias são as mais chatas de sentir e de tratar. Isso porque elas costumam durar entre cinco e sete dias, e estão associadas a uma série de processos inflamatórios. Geralmente, elas causam pus no local e provocam amigdalites, faringites e laringites.

Para combater esse tipo de situação, além de todos os analgésicos e anti-inflamatórios, o médico pode optar por indicar um antibiótico para combater as bactérias.

Não-infecciosa

A faringite não-infecciosa é aquela que não acontece nem por vírus, nem por bactéria. Mas, espera aí, como ela ocorre, então? De uma forma bem simples: ela surge pela irritação da área da garganta, seja pelo ar seco, seja pela poluição ou pela predisposição que as pessoas que sofrem de rinite, por exemplo, têm.

Quem tem algum outro quadro que provoca a congestão nasal, acaba precisando respirar muito pela boca. Nesse processo, o nariz — que tem função de aquecer e filtrar o ar antes de chegar na garganta — não participa da respiração, deixando o ar livre para roubar calor e umidade da região.

O ar-condicionado, como já vimos, também pode acabar provocando a faringite não-infecciosa ou facilitar a entrada de vírus e bactérias no organismo.

Existe um grupo com maior predisposição?

Em geral, as pessoas costumam desenvolver mecanismos de defesa contra vírus e bactérias à medida que contraem esses microrganismos. Com base nisso, é possível entender o porquê, por exemplo, de muitos bebês e crianças pequenas sofrerem com dores recorrentes na garganta.

O sistema imunológico das crianças não tem nenhuma memória no organismo que "avise" como lidar com determinados agentes externos. Por isso, esses indivíduos ficam mais suscetíveis a contrair infecções nessa fase de vida.

Além disso, de acordo com um estudo publicado em 20193, foi encontrada uma possível causa para as amigdalites recorrentes em crianças. A pesquisa observou amígdalas de crianças entre 5 e 18 anos que sofriam com repetidos quadros de infecção na garganta.

A conclusão mostra que algumas dessas pessoas têm uma resposta pobre de anticorpos em relação à bactéria que causa o problema e, por isso, são mais suscetíveis a ela. Também foi identificado que o quadro é mais frequente na família das crianças que sofrem com essa condição do que daquelas que não. Isso indica uma predisposição genética à maior suscetibilidade de contrair amigdalites.

Como aliviar os sintomas?

Os sintomas das infecções na garganta são mesmo incômodos, tirando a nossa disposição e o bom humor. Por isso, é preciso buscar alternativas que visem a aliviar o desconforto. Quando se trata de uma infecção bacteriana, é preciso agir de forma mais incisiva sobre a bactéria. Nos casos em que a infecção é viral, um tratamento sintomático deve ser suficiente.

O uso de pastilhas vai diminuir a irritação na garganta e ajudar a aliviar os sintomas. Além disso, as propriedades medicamentosas são transportadas pela saliva até a garganta, aliviando, inclusive, a dor.

No caso de Strepsils, por exemplo, o efeito é percebido rapidamente — dentro de aproximadamente 15 minutos— e dura por até três horas6. Isso significa que, durante esse tempo, você tem redução significativa da dor, do inchaço e da dificuldade de engolir alimentos sólidos, líquidos e, até mesmo, a própria saliva.

Outras medidas também podem ajudar muito. Manter a garganta hidratada, por exemplo, contribui para diminuir a irritação. Portanto, procure manter uma garrafa de água sempre por perto.

Nesse período, evite consumir tudo o que possa aumentar a dor e o desconforto, como alimentos cítricos, ácidos e apimentados. Também é importante mastigar bem os alimentos.

Se você é adepto a cuidados alternativos, existem diversos produtos naturais que contribuem para o alívio dos sintomas.

No entanto, lembre-se de que nem sempre o alívio dos sintomas significa que o problema foi resolvido. Por isso, é importante consultar um médico, que vai orientar a melhor maneira de combater os sintomas e as causas da inflamação, além de identificar com precisão qual é a natureza da sua dor de garganta — infecciosa (como vírus ou bactéria) ou não infecciosa.

Como é feito o tratamento?

Muitas dores de garganta são virais e não precisam do uso de antibióticos4. Nesses casos, basta cuidar dos sintomas para reduzir a sensação de desconforto e dor causada por eles. A recomendação dos médicos para dores de garganta virais é que você:

  • faça o uso correto de anti-inflamatórios e analgésicos;
  • repouse e dê um descanso para a região da faringe;
  • consuma alimentos em temperatura ambiente;
  • utilize pastilhas para aliviar a irritação, dor e inflamação;
  • gargareje água morna com sal;
  • beba de 2 a 3 litros de água por dia;
  • evite ambientes com fumaça, principalmente de cigarro.

É importante reforçar que quando a dor de garganta persistir é necessário procurar um médico para que ele indique o melhor tratamento. Caso o médico identifique que a dor de garganta é de origem bacteriana e faça a prescrição de antibióticos, você deverá tomar o remédio corretamente, respeitando os horários e a quantidade de dias indicados. Além disso, você pode complementar o tratamento com repouso e hidratação.

Qual a importância de tratar corretamente a dor de garganta?

Em geral, a dor de garganta não é algo preocupante, desde que você mantenha sintomas como a febre sob controle. No mais, é preciso apenas observar a duração que, geralmente, vai de dois a sete dias, dependendo do agente causador. Além disso, você pode adotar tratamentos mais amenos para suavizar os sintomas.

No entanto, se algum sinal inesperado surgir ou a dor persistir além do prazo considerado normal, é importante procurar um médico. Esse profissional vai investigar o que está causando as complicações e indicar um tratamento adequado.

O primeiro passo para isso é um exame simples de observação da área afetada. Além disso, o médico também deve acompanhar a sua temperatura corporal. Por fim, ele pode fazer algumas perguntas que ajudarão a diagnosticar o que está provocando o incômodo. Só depois disso é que o tratamento será indicado.

Resistência aos antibióticos

Apesar de ser bastante frequente a recomendação de antibióticos para evitar a complicação de casos de infecção na garganta, eles não são úteis ou mesmo eficazes para combater qualquer tipo de dor4. Como o nome já sugere, esse tipo de medicamento tem a finalidade de combater bactérias, portanto, se a dor de garganta for viral, não adiantará de nada tomá-lo.

Além disso, a ingestão indevida ou desnecessária de antibióticos pode provocar a chamada resistência ao medicamento. Dessa forma, em vez de apresentar os resultados esperados, o organismo simplesmente não reage aos agentes químicos.

Quando procurar um especialista que cuida da dor de garganta?

Como você já viu, a dor de garganta, geralmente, é algo que se resolve sozinho. No entanto, em alguns casos, com a insistência do quadro e a permanência dos sintomas, apenas o uso de analgésicos pode não adiantar.

Além de se manter hidratado e controlar a febre, é preciso procurar um profissional na área, especialmente, se você apresentar algumas das seguintes condições5:

  • febre de 39ºC ou mais por mais de 48 horas;
  • dor permanente no corpo;
  • dificuldade de abrir a boca, de se alimentar ou de respirar;
  • uso de medicamentos que reduzem a imunidade;
  • ser portador de HIV.

Nessas situações, o mais indicado é procurar um otorrinolaringologista, que é o especialista em ouvido (oto), nariz (rino) e garganta (laringo). Esse é o médico que deve ser procurado quando você começa a sentir dor de garganta, especialmente, quando ela se espalha para os ouvidos ou vem acompanhada de obstrução nasal e dores de cabeça e na face.

Em muitos casos, a dor de garganta não está sozinha. Ela pode acompanhar casos de gripes e resfriados, além de outras inflamações na região da face e cabeça, por exemplo. Por isso é importante consultar um profissional de saúde apto para fazer um diagnóstico preciso e prescrever o melhor tratamento.

Como o Strepsils pode auxiliar no tratamento?

Um tratamento ideal para a dor de garganta deve ser rápido e duradouro. Além disso, precisa ser eficaz contra os sintomas (que podem ser provocados por vírus ou por bactérias), proporcionar alívio local, afastar a inflamação e ser seguro para a sua saúde.

Pensando nisso é que foi desenvolvida Strepsils, uma pastilha com ação anti-inflamatória e analgésica, que age contra os sintomas, independentemente da causa. O grande diferencial é que ela não mascara o problema, agindo apenas sobre os sintomas.

Por ter ação anti-inflamatória, ela age também no foco da dor, ou seja, ajuda a melhorar a garganta inflamada. Se você quer se manter protegido e livre de dores de garganta, considere adotar alguns hábitos na sua rotina, como:

  • estabeleça uma dieta rica em frutas e verduras, especialmente, as ricas em vitaminas A e C;
  • utilize umidificadores de ar nos dias mais secos;
  • evite o uso excessivo de ar-condicionado;
  • se você é fumante, procure auxílio para parar de fumar;
  • se trabalha com a sua voz, aprenda técnicas que permitem que você fale com qualidade, sem forçar as cordas vocais;
  • mantenha-se hidratado.

Apesar de ser bastante comum, a dor de garganta é um grande inconveniente. A princípio, ela não oferece grandes riscos à saúde, mas é importante monitorar os sintomas e prestar atenção, caso surjam novos sinais.

Não se esqueça de que tanto o processo inflamatório quanto a dor são indícios de que você realmente precisa de um descanso. Assim, sempre que possível, tire um tempo para repousar, sem engolir nada ou mesmo ficar falando enquanto a garganta estiver inflamada.

Agora que você já sabe tudo sobre dor de garganta, lembre-se de que Strepsils é seu parceiro no combate aos sintomas, afastando a dor e a irritação. Conheça o nosso especialista em dor de garganta, não importa o momento!

Referências

1. N Engl J Med 2001; 344:205-211;

2. Journal of Endotoxin Research, Vol. 10, No. 4, 2004;

3. Science Translational Medicine 06 Feb 2019: Vol.11, Issue 478, eaau3776;

4. Can Fam Physician 2007;53:1961–1962;

5. JAMA. 2004;291(13):1587-1595;

6. Bula do Produto.

STREPSILS® (flurbiprofeno) M.S. 1.7390.0003. Indicado para alívio da inflamação da garganta. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO. (DATA)